Uncategorized

Todo dia uma mentira do Grupo Gay da Bahia #73 a #76

#73 Priscila

A Polícia Civil coletou o depoimento de diversas testemunhas oculares, comparou as versões apresentadas pelo autor do crime e das muitas testemunhas e concluiu que a morte NÃO teve motivação política nem homofóbica.

O Grupo Gay da Bahia teve acesso a boatos disseminados na mídia e com base neles classificou o travesti Priscila como 326ª vítima de crime homofóbico no Brasil em 2018. O GGB ainda destacou que o travesti foi assassinado a gritos de “Bolsonaro presidente!”, mas a versão foi desmentida por testemunhas oculares diversas.

https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2018/10/31/policia-prende-suspeito-de-matar-travesti-em-sp-e-descarta-intolerancia-e-motivacao-politica.ghtml

https://homofobiamata.wordpress.com/2018/10/16/326-priscila-3odp/

#74 Flávio Augusto Adário Ribeiro

Mortes em que a vítima eventualmente é homossexual, mas cujas circunstâncias em nada apontam a homofobia como variável causal do crime são extremamente comuns nos relatórios do Grupo Gay da Bahia.

Flavio Augusto se envolveu numa confusão com seu assassino por conta de um “bloqueio de passagem” a uma mulher amiga da vítima durante uma balada noturna. Algo infelizmente corriqueiro nestas festas: pessoas desconhecidas, embriagadas ou entorpecidas por outras drogas, muitos esbarrões, algumas cantadas mais desaforadas… e todos os dias ouvimos falar de alguma vítima de crimes motivados por confusões em baladas noturnas.

Ocorre que no meio da discussão, Flavio saiu em defesa de sua amiga arremeçando uma cadeira contra o homem que havia “bloqueado a passagem” dela.

O homem sai da festa, pega um instrumento de trabalho dele (uma pistola de fixação de gesso), volta na festa e atira um pino de fixação de gesso contra a cabeça de Flavio, que morre na hora. Um crime bárbaro, mas sem nenhum indicativo de homofobia. Todavia, Flavio era homossexual, e isso já basta para o GRUPO GAY DA BAHIA usar seu nome em vão.

https://homofobiamata.files.wordpress.com/2016/01/listagem1.pdf

https://tribunademinas.com.br/noticias/cidade/06-11-2017/gesseiro-e-condenado-a-14-anos-por-homicidio-na-andradas.html

#75 Douglas dos Santos Pinheiro

Travesti morto por outro travesti a facadas, geralmente em disputa por ponto de prostituição. Outro caso extremamente frequente nas listas de crimes motivados por homofobia do GRUPO GAY DA BAHIA.

Assim multiplicam-se os casos fabricados por ONGs e universidades públicas que depois serão usados para justificar destinação de verbas públicas ou para sustentar decisões judiciais injustas.

http://www.jornaldanova.com.br/noticia/41935/travesti-e-morto-a-facada-em-posto-na-br-163-autor-foi-preso

https://homofobiamata.files.wordpress.com/2016/01/listagem1.pdf

#76  Itamar Sena Passos

 

Itamar era um travesti conhecido como Keity. Segundo a polícia apurou, ele também era traficante. Foi assassinado por três outros traficantes, um dos quais era ex-namorado de Keity.

A polícia apontou indícios de acerto de contas por conta de uma perda de Keity de grande soma de dinheiro e quantidade de drogas por parte de Keity. Já Iakko, assassino confesso, traficante e ex-namorado da vítima, o motivo teria sido que Keity tinha jogado o nome dele na macumba.

Duas certezas: 1. Nada na história divulgada pela imprensa aponta motivação homofóbica. 2. O Grupo Gay da Bahia classificou o caso como morte motivada por homofobia.

https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/policia-busca-mais-dois-suspeitos-de-matar-transexual-com-25-facadas/

https://homofobiamata.files.wordpress.com/2016/01/listagem1.pdf

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s