Uncategorized

Relembre 10 casos de “assassinatos homofóbicos no Brasil” nos últimos 5 anos

Morte por causas naturais em Londres pode ser assassinato motivado por homofobia Brasil.

Pelo menos esta é posição do antropólogo Luiz Mott, que durante anos foi professor da UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA e que é o principal responsável pela pesquisa mais famosa sobre mortes de LGBTs motivadas por preconceito no Brasil.

Vamos fazer uma viagem pela Europa e relembrar de 10 casos de mortes fora do Brasil que foram parar nos relatórios de mortes motivadas por homofobia no Brasil? Para checar as fontes que comprovam cada caso, clique nos links sobre os nomes ou apelidos das vítimas.

PRIMEIRA PARADA: PORTUGAL

Michele Santana, sua irmã e a namorada desta foram assassinadas em Lisboa, Portugal. Tanto as vítimas quanto o criminoso eram brasileiros. O crime foi motivado pelo fato de que o assassino, amante da vítima heterossexual, não queria que a mulher descobrisse o caso uma vez que a amante estava grávida e estaria ameaçando de revelar o romance entre os dois.

O casal de lésbicas composto pela irmã e pela cunhada de Michele acabou morto por queima de arquivo. Não era o alvo do assassino.

Na opinião do GRUPO GAY DA BAHIA, aí estão todos os elementos que permitem classificar este caso como representando três assassinatos motivados por homofobia no Brasil.

SEGUNDA PARADA: ESPANHA

Lorena era um travesti venezuelano que vivia em Tenerife, Espanha e que morreu quando caiu de um prédio ao tentar fugir de um agressor. Assassinato motivado por homofobia no Brasil segundo o GRUPO GAY DA BAHIA.

TERCEIRA PARADA: ITÁLIA

Chegamos ao destino internacional onde mais acontecem mortes motivadas por homofobia no Brasil. São diversos casos.

Abel Goes era um estilista em viagem turística, tinha data de retorno agendada ao Brasil e não retornou. Foi procurado por familiares, que o encontraram morto em um hospital em Roma: segundo o GRUPO GAY DA BAHIA, um dos crimes homofóbicos no Brasil em 2017. Rafaella Rotalco era um travesti que vivia também em Roma: usuário de drogas, sofreu uma overdose: segundo o GRUPO GAY DA BAHIA, crime homofóbico no Brasil. Tiara Costa morreu de causas não esclarecidas, também em Roma: crime homofóbico no Brasil em 2014. Já em Novara morreu um travesti não identificado, a tiros: crime homofóbico no Brasil em 2012

QUARTA PARADA: PAÍSES BAIXOS


Bianca morreu assassinado na cidade de Arnhem: GRUPO GAY DA BAHIA jura que foi uma das vítimas de crime homofóbico no Brasil em 2017.

QUINTA PARADA: REINO UNIDO

Resultado de imagem para LONDON

Patricia Reigada foi encontrado morto em seu flat. A autópsia indicou uma parada cardíaca: o GRUPO GAY DA BAHIA disse que foi um dos crimes homofóbicos do Brasil em 2013.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s