O debate entre Marta Iglesias Julios e Maria de Laó (ou: como passar pela timeline de gente desconhecida me deu um monte de material pra estudar )

Teresa Giménez Barbat, uma eurodeputada espanhola (isto é: uma representante da Espanha no Parlamento Europeu)  escreveu um artigo falando sobre o modo enviesado e anticientífico que o Parlamento Europeu tem tratado a questão da violência entre parceiros íntimos. Você pode ler o artigo clicando aqui. Tereza começa o texto falando sobre uma indagação que havia feito no…

O país que mais (…) homofobia no mundo

Nenhum outro país produz estatísticas de "morte por homofobia" como o Brasil! Neste quesito somos campeões mundiais! Rede Trans, ANTRA, Grupo Gay da Bahia, Universidade Federal do Rio de Janeiro e outras. Temos estatísticas de "mortes motivadas por homofobia" para dar e para vender. Temos estatísticas de "mortes motivadas por homofobia" para todos os gostos!…

Bandeiras inspiradas no grupo terrorista ANTIFA são supostamente retiradas da UNIRIO por supostos ‘ANTIFAs de direita’

Desde meados das eleições presidenciais o símbolo do grupo ANTIFA se tornou a figurinha mais fácil (literalmente) no movimento estudantil brasileiro. O ANTIFA é um grupo descentralizado conhecido internacionalmente pela prática de atos de violência contra quem divirja de suas ideias políticas alinhadas à extrema-esquerda progressista (aos quais chamam de "fascistas") e também pela sistemática…

“Quando uma mulher mata o marido, é em legítima defesa”: uma defesa tipicamente ilegítima da tipicação de “feminicídio”

Publiquei um post em Quem a homotransfobia não matou hoje? demonstrando que ( se aplicarmos honestamente os percentuais amplamente divulgados pelo IPEA  ) o número de homens vítimas de crimes cometidos por parceiras e parceiros amorosos seria maior do que o número de mulheres mortas pelos parceiros e parceiras. Em poucas linhas: se as estimativas publicadas em…

Um “paradoxo” de gênero na educação: por que o sexo com melhores notas nos vestibulares é o sexo com menos alunos no Ensino Superior?

A palavra paradoxo no título deste texto está entre aspas porque não há paradoxo algum em cenários complexos dependerem da leitura de mais de uma variável para serem compreendidos: o discurso feminista típico, contudo, não está acostumado a análises de cenários complexos sob uma soma ampla de variáveis. Se mulheres ainda vão muito pior em…