Uncategorized

Diga cheeeeese, GRUPO GAY DA BAHIA!

O GRUPO GAY DA BAHIA (depois seguido por outras instituições) produziu e disseminou por décadas a FRAUDE de que centenas de pessoas são mortas – no Brasil – todos os anos por serem homossexuais.

O surgimento. há cerca de 15 meses, da página “Quem a homotransfobia não matou hoje?” dificultou um pouco a disseminação das fraudes.

Usando os próprios dados publicados por estas instituições em seus sites oficiais, a página vem mostrando que os ativistas travestidos de pesquisadores mentem quando divulgam que centenas de pessoas morrem todos os anos no Brasil pelo fato de serem homossexuais.

Estas listas são – na verdade – relações de mortes aleatórias onde se misturam casos de assassinato por motivação desconhecida, suicídios, latrocínios, mortes por causas acidentais, mortes fora do país, mortes por overdose, mortes por causas naturais… Os pesquisadores chamam todos estes casos de “crimes homofóbicos”, de “mortes motivadas por intolerância transfóbica” ou atributos semelhantes.

As instituições começaram a tomar medidas contra a checagem e desmascaramento de seus relatórios.

A primeira foi a UFRJ, cujas responsáveis pela pesquisa LESBOCÍDIO deletaram todas as provas disponíveis contra o “estudo” conduzido por elas assim que comecei a usar os seus próprios sites para mostrar que elas andavam listando lésbica assaltante morta pela polícia enquanto dirigia carro roubado como se fosse caso de morte motivada por lesbofobia.

No final de 2018 o GRUPO GAY DA BAHIA deletou, de sua página oficial, todas as informações relativas ao relatório desta ano. No começo de 2019 deletaram sua página no Twitter, onde parte das provas inequívocas de manipulação das conclusões estavam expostas.

A REDE TRANS, uma das responsáveis por um relatório internacional de mortes de travestis (sendo a responsável pela captura dos dados nacionais usados pela ONG internacional TRANSGENDER EUROPE) também parou de divulgar os casos.

Finalmente a ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE TRAVESTIS E TRANSEXUAIS mantém públicos os dados de 2018 e 2017, até o momento.

Este post disponibiliza links para impressões em PDFs e links para sites de cache relativos às pesquisas da REDE TRANS/TGEU, do GRUPO GAY DA BAHIA e da UFRJ/LESBOCÍDIO.

Desta maneira, ainda que estas instituições continuem divulgando dados falsos, e daqui por diante impossíveis de serem checados, a prova sobre como elas vinham produzindo seus dados alarmistas de “mortes por motivo de homofobia” fica resguardada.

Quem a homotransfobia não matou hoje? CONTINUARÁ de olho nesta e em outras fraudes dos ativismos identitários.

PÁGINAS DE CACHE PARA OS RELATÓRIOS COM OS NOMES DIVULGADOS PELO GRUPO GAY DA BAHIA COMO SE FOSSEM CASOS DE MORTE POR HOMOFOBIA NOS ÚLTIMOS ANOS

2013:https://web.archive.org/web/20190208184812/https://homofobiamata.files.wordpress.com/2013/02/registros-2013.pdf

2014:https://web.archive.org/web/20190208184839/https://homofobiamata.files.wordpress.com/2013/02/relatorio-por-estado-20145.pdf

2015:https://web.archive.org/web/20190208184626/https://homofobiamata.files.wordpress.com/2016/01/listagem1.pdf

2016:https://web.archive.org/web/20190208184923/https://homofobiamata.files.wordpress.com/2017/01/planilha-2016.pdf

2017:https://web.archive.org/web/20190208184447/https://homofobiamata.files.wordpress.com/2018/04/listagem-registros-2017.pdf

IMPRESSÃO EM PDF DA PÁGINA OFICIAL DO GRUPO GAY DA BAHIA, RECENTEMENTE DELETADA, ONDE É POSSÍVEL CHECAR ALGUNS DOS CASOS LISTADOS PELA ONG COMO SE FOSSEM “MORTES POR HOMOLESBOTRANSFOBIA NO BRASIL” EM 2018 E 2019:

https://drive.google.com/file/d/1eBXxkdzyDCm6Q_bpfnaQG89IaN7g9KaS/view

IMPRESSÃO EM PDF DA PÁGINA OFICIAL DA PESQUISA LESBOCÍDIO DA UFRJ, RECENTEMENTE DELETADA, ONDE É POSSÍVEL CHECAR ALGUNS DOS CASOS LISTADOS PELA “MORTES POR LESBOFOBIA NO BRASIL” ENTRE 2014 E 2018:

https://drive.google.com/file/d/1zt0nsIXMlH41Ol46QVqIbpJ2aIU7HFIu/view

PÁGINAS DE CACHE PARA OS ÚLTIMOS RELATÓRIOS TRANSGENDER EUROPE/ REDE TRANS

2017~2018:https://web.archive.org/web/20190208203408/https://transrespect.org/wp-content/uploads/2018/11/TvT_TMM_TDoR2018_Namelist_EN.pdf

2016~2017:https://web.archive.org/web/20190208203733/https://transrespect.org/wp-content/uploads/2017/11/TvT_TMM_TDoR2017_Namelist_EN.pdf

2015~2016:https://web.archive.org/web/20190208203650/https://transrespect.org/wp-content/uploads/2016/11/TvT_TMM_TDoR2016_Namelist_EN.pdf

2014~2015:https://web.archive.org/web/20190208203623/https://transrespect.org/wp-content/uploads/2015/11/EN_TvT-TMM-Namelist-TDOR-2015-Oct-2014-Sep-2015.pdf

Algumas destas páginas permanecem (08 de fevereiro de 2019) on-line, outras foram deletadas.

Os links acima vão permitir, contudo, que qualquer pessoa tenha acesso a quais mortes pesquisadores como Maria Clara Dias (UFRJ) e Luiz Mott (GRUPO GAY DA BAHIA) vinham divulgando como se fossem casos de crimes de ódio motivados por intolerância homofóbica.

Não adianta mais deletar! Os prints não morrem, GRUPO GAY DA BAHIA.

Nós sabemos o que vocês andaram fazendo nos verões passados.

ATENÇÃO: NOS LINKS A SEGUIR EU DISPONIBILIZO PEQUENAS AMOSTRAS DA INFORMAÇÃO ESCONDIDA NOS LINKS ACIMA:

AMOSTRA 1: https://naomatouhoje.blog/2018/10/30/todo-dia-uma-mentira-do-grupo-gay-da-bahia-68-a/

AMOSTRA 2: https://naomatouhoje.blog/2018/10/26/cada-dia-una-mentira-del-gay-da-bahia-65-edicion-espacial/

AMOSTRA 3: https://naomatouhoje.blog/2018/09/23/todo-dia-uma-mentira-do-grupo-gay-da-bahia-43-44-45/

AMOSTRA 4: https://naomatouhoje.blog/2018/12/30/histeria-lgbt/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s