Se toda a unanimidade é burra, os defensores das regras que estabelecem proibições de circulação, de atividade profissional ou de lazer na tentativa de reduzir os índices de disseminação do vírus chinês de 2019 podem respirar aliviados.

A influenciadora televisiva Maju Coutinho declarou, recentemente, em um programa apresentado por ela, que a posição de especialistas é unânime em favor dos lockdowns, e deu um recado aos milhões de cidadãos afetados pelas medidas estatais: a jornalista indicou aos críticos do lockdown que chorem a vontade.

Unanimidade é a qualidade do que é unânime. Unânime, nos ensina o dicionário, é a posição em que há acordo entre todas as pessoas. A decisão que me absolveu no processo aberto pelas três pesquisadoras da UFRJ responsáveis pela fraude sobre “lesbocídio” só foi unânime porque os três juízes concordaram que minhas críticas à desonestidade do estudo são lícitas. Se dois votassem pela minha absolvição e um votasse pela minha condenação, não teria ocorrido unanimidade.

Os especialistas por excelência, quando se trata de medidas como o lockdown, são os pesquisadores em Epidemiologia e em Infectologia. Podem ser, também, considerados especialistas os profissionais de saúde implicados em atividades relacionadas ao controle ou à compreensão da disseminação de doenças infectocontagiosas: microbiologistas, geneticistas, bioestatísticos.

Se um único epidemiologista ou infectologista discordar das proibições quanto a circulação de pessoas e quanto à liberdade destas para o trabalho e para o lazer, então a fala de Maria Julia (que afirmou que “Os especialistas são unânimes em dizer que essas são medidas indispensáveis agora para conter a circulação do vírus. O choro é livre, não dá para a gente reclamar, é isso que tem”) é uma notícia falsa veiculada em rede nacional.

John Ioannidis é um proemiente epidemiologista, professor da prestigiosa Universidade de Stanford. Ele é considerado o fundador de todo um campo de pesquisa: a Metaciência, que é o uso da metodologia científica para estudar a própria ciência, na busca por aumentar a qualidade da pesquisa científica e ao mesmo tempo reduzir o desperdício. Seu artigo “Por que a maioria das descobertas dos artigos de pesquisa publicados é falsa”, que é tido como peça fundadora deste campo de pesquisa, é o artigo mais baixado até hoje na PLOS.

John tem sido um crítico ferrenho das restrições obrigatórias impostas pelos governantes de diversos países. Um especialista do porte de um John Ioannidis já seria suficiente para demonstrar a falsidade na afirmação da influenciadora Maju Coutinho, mas John tem companhia.

A Declaração de Great Barrigton reúne assinaturas de milhares de cientistas e outras milhares de pessoas comuns. Ela é uma posição pública e coletiva contra os lockdowns e foi assinada por epidemiologistas, infectologistas e outros pesquisadores em saúde, atuantes em diversos países. Eis alguns deles:

| Dra. Sunetra Gupta, epidemiologista e professora da Universidade de Oxford.
| Dr. Martin Kulldorff, epidemiologista e professor da Universidade de Harvard

| Dr. Jay Bhattacharya, epidemiologista e professor da Universidade de Stanford
| Dra. Adina Feldman, epidemiologista e professora do Instituto Karolinska
| Dr. Alexander Walker, epidemiologista e professor da Universidade de Harvard
| Dr. James Enstrom, epidemiologista e professor da Universidade da California, Los Angeles


Os especialistas citados acima não são epidemiologistas pouco experientes, formados em universidades de pouco prestígio, atuantes em hospitais suburbanos de cidades de terceiro mundo. São médicos epidemiologistas com sólida carreira e que lecionam em universidades de tanto prestígio quanto a mais bem conceituada do mundo (Harvard), a mais bem conceituada da Europa (Oxford) ou a responsável por eleger o Prêmio Nobel de Fisiologia e Medicina (Karolinska). A lista completa de especialistas em saúde que assinaram a Declaração de Great Barrigton você encontra aqui.

É possível que a maioria dos especialistas seja – em alguma medida – favorável aos lockdowns estabelecidos por governantes ao redor do mundo. Desconheço estudos que mensurem quantos por cento dos epidemiologistas, dos infectologistas ou dos demais pesquisadores em saúde se posicionam com relação a este tema.

Entretanto, declarar que esta é uma posição unânime entre os especialistas, que todos os especialistas concordam com os lockdowns, é simplesmente falso. É fake news transmitida pelas antenas da Rede Globo para milhões de lares em todo o país. É o que temos pra hoje: chora mais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s